Primeira estação brasileira de biotecnologia para tratamento de efluentes

  • por

A primeira estação brasileira de biotecnologia para tratamento de efluentes mostra que o país deu mais um importante passo. Nomeada de Biogill, a estação já vem funcionando desde o mês de junho deste ano de 2019. E além de auxiliar no problema de saneamento do município, ela ainda é 100% ecológica e permite que sejam usadas placas para geração de energia solar para seu funcionamento.

 

Qual a importância desse processo?

A água é essencial em diversos processos produtivos das indústrias no Brasil e mundo. Mas, claro, também se faz essencial no dia a dia das pessoas.

Esse elemento essencial é utilizado para diversas finalidades, sendo que muitas delas fazem com que ele se torne poluído. Por exemplo: dissolver produtos químicos, onde a água resultante disso se transforma em efluente. Ou seja, ela torna-se tóxica e inapropriada para uso e contendo elementos que podem poluir o meio ambiente.

É por isso que faz-se necessário que ela seja tratada numa chamada “estação de tratamento de efluentes”. Esse processo é altamente recomendado para o tratamento e restauração de corpos hídricos que foram contaminados.

Expectativas para o município e também para o Brasil com a biotecnologia no tratamento de efluentes

O prefeito do município vem buscando por alternativas que além de oferecerem melhores condições de vida para os moradores, ainda contribuam para a proteção do meio ambiente, por isso, viu nesse projeto um meio de obter os dois.

Ainda, de acordo com o prefeito, o município visa adotar uma postura correta no tocante ao saneamento e se tornar um modelo para as demais, bem como para todo o país.

O prefeito relata que o município tem crescido no que diz respeito ao turismo e, devido a isso, mais e mais investidores têm mostrado interesse em fazer negócios no local, tais como pousadas e hotéis. E os turistas que visitam o município, além de buscarem praias bonitas e locais para se instalar que ofereçam conforto, também querem encontrar um lugar que seja limpo, organizado, com saneamento, etc. Logo, o prefeito testará esse projeto para analisar os resultados obtidos.

Kenny Wilson, diretor de obras responsável pela chegada da estação para tratamento de efluentes no município, relata que a biotecnologia aplicada ao projeto, a qual faz uso de membranas nano cerâmica, pode ser usada em qualquer cidade para o tratamento de efluentes domésticos, especialmente em áreas onde o acesso é mais difícil.

A biotecnologia no saneamento é o que pode-se chamar de “a própria natureza cuidando se si”. É o uso de bactérias ou de plantas geneticamente modificadas para esse fim. Desse modo, evita-se o uso de produtos que causariam mais danos ao meio ambiente e àqueles que nele estão inseridos, sejam seres humanos, animais ou plantas.

E apesar da primeira estação brasileira de biotecnologia para tratamento de efluentes ser algo mais compacto e voltado para o tratamento de esgoto doméstico, esse já é um importante passo para o país com o uso efetivo dessa tecnologia não poluente que preserva a qualidade da água

fonte: https://www.desentupimentosp.com/blog/a-biotecnologia-como-solucao-para-o-saneamento/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *